Filmes Feministas

Filmes tem de monte, né? Filmes com representatividade feminina são um tanto quanto difíceis de se encontrar, principalmente nessa indústria hollywoodiana e de blockbusters. Entre os filmes franceses e independentes, mas ainda não é o ideal já que a massa não consegue consumir nada que não seja altamente sexista e sem participação significativa da mulher nos filmes.

Para contestar a participação da mulher nos filmes tem o teste de Bechdel, antes eu achava um teste muito superficial para qualquer coisa, mas quando eu passei a avaliar os filmes, vi que por mais simples que o teste seja a grande maioria dos filmes não passa por ele. Farei um post falando sobre meu encontro com essa dolorosa verdade.

Na lista não são filmes feministas do tipo que explana sobre a teoria feministas, mas filmes que apontam outros tipos de participação da mulher na sociedade e que abordam as dificuldades encontradas pela mulher que vive sob a pressão do patriarcado.

Então, os filmes que selecionei em que tem participação feminina, ou demonstra algum tipo de dificuldade que a mulher passa em seu dia a dia apenas por ser mulher.

  1. Tomates verdes e fritos  tomates verdes fritos

Sinopse: Evelyn Couch (Kathy Bates) é uma dona de casa reprimida por si mesma e pelo marido Ed (Gailard Sartain) que não dá atenção a ela. Os dois sempre vão ao hospital visitar a tia de Ed em um hospital, mas a tia nunca permite a entrada de Evelyn. Certo dia ao esperar o final da visita do marido, Evelyn conhece Threadgoode (Jessica Tandy) uma senhora de 83 anos que conta a história de Idgie (Mary Stuart Masterson) uma parente sua que administra uma lanchonete em Whistle Stop, no Alabama. Na infância Idgie ficou muito amiga da namorada de um grande amigo, Ruth Jamison (Mary-Louise Parker), depois de sua morte. Enquanto adultas Ruth entra em um casamento complicado com um integrante da Klux Klux Klan, o casamento dos dois fica insustentável e Idgie chama Ruth para trabalhar em sua lanchonete. Mas Idgie enfrenta problemas quando os participantes da KKK começam a ser contra ela servir comida aos negros nos fundos da sua lanchonete.

Por que escolhi esse filme: O filme mostra a principal como uma mulher fraca inicialmente, mas ao tomar conhecimento da história de Idgie e de como ela teve que ser forte em várias situações de sua vida, Evelyn começa a tomar coragem para mudar sua própria vida. Por isso é tão importante ter uma representatividade forte na vida das mulheres, para que possamos todas nos identificar como seres investidos de força e que podem ir contra seu próprio destino. Além do filme perpassar por questões raciais e explicitar como era aceitável e normal o preconceito contra negros.

2. Persepolis

2. Persepolis

Sinopse: Marjane Satrapi (Gabrielle Lopes) é uma menina iraniana muito amada por sua família, que é liberal e politizada que vê sua vida mudar bruscamente com a queda do Xá e a entrada de um regime fundamentalista Xiita, durante a Revolução Iraniana o que faz com que ela tenha que passar a usar véu.  Marjane descobre o cultura punk e com o estouro da Guerra do Teerã e a execução de seu tio, sua família fica preocupada com sua ousadia política e a envia para uma escola na Áustria. Ao se formar na escola, volta para o Irã, mas a vida fica muito complicada em seu país o que a faz se mudar para a França em busca de uma vida boa sem repreensões fundamentalistas.

Por que escolhi esse filme: Marjane antes de tudo é uma mulher real que, como tantas outras, foi submetida à uma vida dura subjugada pelos fundamentalistas Xiitas, que enfrenta com coragem as decisões políticas que a subjuga como mulher. Mas sendo uma mulher como qualquer outra bate de frente com as decisões que toma na vida e aprende a crescer na dificuldade. O filme também fala de intolerância religiosa e esteriótipos Orientais.

Além do filme tem o livro que é uma coletânea de quadrinhos bibliográficos feito pela própria Marjane.

3.  MulanMulan

Sinopse: Os Hunos invadem a China e o Imperador convoca todos os homens para a guerra, mas a família Fa não tem filhos homens, o que obriga o senhor da casa a obedecer a convocatória do Imperador. Mulan a filha da família, uma menina diferente e enérgica que não consegue agradar a casamenteira do povoado e se sente uma desonra para sua família, decide tomar o lugar de seu pai na contenda, pois ele já é velho e ela quer levar honra à sua casa. Mulan corta o cabelo, se veste de homem e entra para o exército, onde faz 3 grandes amigos e conhece o Capitão Lee Shang.

Por que escolhi esse filme: Primeiramente descobri que existe gente que não gosta de Mulan, porque ela não é princesa, fiquei chocada ao ouvir isso. Mulan é uma mulher que não consegue se adaptar ao lugar reservado para a mulher em sua sociedade, o filme aborda vários tópicos da vida da mulher em uma sociedade patriarcal.

As duas coisas que mais me chamam atenção no filme é a música “Não vou desistir de nenhum homem”, quando Mulan está no trinamento de Lee. A música fala que ele vai transformar o pelotão nos melhores homens e ela é a que mais se destaca como “homem” entre os outros. Outra coisa que me chama atenção é que mesmo Mulan tendo salvado a vida deles, eles viram as costas para ela assim que a descobrem como mulher.

4. Valente Velente

Sinopse: A princesa Mérida adora andar à cavalo, caçando com seu arco e flecha e correr livre com seus longos cabelos vermelhos. Sua mãe Elinor quer que Merida seja uma donzela exemplar e que se case com um dos representantes dos clãs, mas Merida é contra o casamento forçado e procura uma bruxa para ajudá-la mudando sua mãe, mas quando ela vê a mudança que sua mãe teve ela se vê com outros problemas em mãos.

Por que escolhi esse filme: Valente foi um filme pouquíssimo comentado apesar de eu ter adorado, parece que não agradou tanto. Bem, o filme mostra a vontade da mulher de mudar o que antes era um destino imutável e o encontro de duas gerações que entram em conflito quando Merida quer mudar toda a história para não se casar. Além de mostrar a linda relação mãe e filha que juntas encontram uma solução viável para todos os impedimentos.

5. Legalmente Loira Legamente Loira

Ella Woods é linda, loira e popular, tem uma vida perfeita. Mas seu namorado termina com ela quando vai para a Universidade estudar direito. Ella decidida a reconquistar seu namorado indo para a Universidade atrás dele, fazendo de tudo para entrar em uma das melhores universidades dos EUA Havard.

Por que escolhi esse filme: Bem, apesar de não parecer, por Elle estar sempre de rosa e acompanhada de seu cachorrinho, preocupado com as unhas e os cabelos, Ella começa o filme pensando em fazer de tudo para conseguir seu namorado de volta, mas uma hora ela cai em si e vê que o namorado é idiota e trabalha duro para provar pra ela e para todos que ela é capaz de fazer tudo o que quiser, mesmo estando de rosa e salto e alto. Acho esse filme um bom exemplo de como a mulher pode ser forte de diversas formar diferentes e sempre se capacita ao máximo na adversidade.

6. O Sorriso de Monalisasorrisodemonalisa

Sinopse: Katharine Watson (Julia Roberts) é uma professora que consegue emprego no conceituado colégio Wellesley, para lecionar aulas de História da Arte. Incomodada com o conservadorismo da sociedade e do próprio colégio em que trabalha, Katharine decide lutar contra estas normas e inspira suas alunas a enfrentarem os desafios cotidianos.

Por que escolhi esse filme: Penso que esse filme mostra a importância de ter uma representatividade feminina forte em nossa vida para que percebamos o que podemos fazer diferente numa sociedade que já normalizou tanto o sexismo que nós acabamos normalizando também.

7. Preciosa preciosa

Sinopse: Claireece Preciosa Jones sofre privações inimagináveis em sua juventude. Abusada pela mãe, violentada por seu pai, ela cresce pobre, irritada, analfabeta, gorda, sem amor e geralmente passa despercebida.

Por que escolhi esse filme: Para começar esse é um dos filmes mais triste que eu já vi, tem que ter estômago, viu?

Bem, Preciosa é uma menina gorda, negra e pobre. Tudo parece estar contra ela, além dos preconceitos que ela precisa enfrentar em seu cotidiano por conta de sua aparência, ela ainda é abusada sexualmente por seu pai e culpabilizada por sua mãe. Sua relação com sua mãe também é extremamente abusiva. Esse filme trata sobre padrões da sociedade, pessoas marginalizadas, racismo, culpabilização da vítima. O filme é tão complexo que talvez mereça post próprio.

8. Mad Maxmad max

Sinopse: Assombrado por seu turbulento passado, Mad Max acredita que a melhor maneira de sobreviver é vagar sozinho. No entanto, ele é levado durante uma fuga em um carro de guerra dirigido por uma Imperatriz de elite chamada Furiosa. Eles estão fugindo de uma cidadela tiranizada por Immortan Joe, que teve algo insubstituível roubado.

Por que escolhi esse filme: Muito polêmico, Mad Max é um filme de ação que dá espaço para uma mulher que é quem dirige o carro de fuga, quem atira melhor à longa distância. Eu fiquei estasiada quando saí do cinema, finalmente um mulher forte, alguém que todas as mulheres gostariam de ser. Não a menina que sempre tropeça e precisa de um herói particular.

O melhor de Mad Max é que Furiosa e Max agiram juntos o tempo todo cada um cobrindo a necessidade do outro.

Além de tocar em questões como objetificação da mulher e a mulher como propriedade.

Quem escreve: Debs

Estudante de história, seriadora, amante de procrastinação, adora bob esponja e feminismo, música clássica e Lady Gaga.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s